“Esta vai ser a nossa abordagem depois do ‘Brexit’ [saída do Reino Unido da União Europeia, marcada para março de 2019]. Basicamente, fortalecer ainda mais a relação bilateral com os nossos parceiros europeus, os nossos parceiros históricos, mas também criar novos laços importantes com outros Estados e economias”, disse à Lusa Kirsty Hayes, que assiste à XII conferência de chefes de Estado e de Governo da CPLP, a decorrer em Santa Maria, ilha do Sal, Cabo Verde.

Os líderes dos nove países lusófonos aprovaram hoje a concessão da categoria de observador associado a mais oito Estados — Luxemburgo, Andorra, Reino Unido, Sérvia, Chile, França, Itália – e à Organização de Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI).