Paulo Rocha deu esta garantia durante uma conferência de imprensa de anuncio do plano de desconfinamento pós-estado de emergência, quando foi questionado sobre esse assunto, que veio a toma, sobretudo depois de publicada a resolução que aprova a atribuição de uma pensão de 75 mil escudos aos dois filhos menores do falecido cantor Jorge Neto.

“Este processo já está em curso. Já decorre há bastante tempo. Havia um parecer que era necessário dar pelo ministro da Administração Interna, foi dado há já algum tempo, o processo está numa fase final de conclusão junto do Ministério das Finanças e estará para sair a qualquer momento”, explicou.

Paulo Rocha esclareceu que este processo tem a ver com a atribuição de uma pensão aos descendentes, mas adiantou que o agente, assim como todos os policiais, era beneficiário de um seguro de vida que também está a ser tratado com a seguradora, estando pendente também a questão dos herdeiros hábeis.

“A família não fica desamparada. É a primeira preocupação do Ministério da Administração Interna e do Governo. Neste sentido, em quero tranquilizar a família em como esta questão está a ser tratada”, garantiu Paulo Rocha.

O agente Hamilton Morais foi morto no dia 29 de Outubro de 2019, após uma troca de tiros ocorrido durante uma diligência, para a intervenção junto de dois indivíduos que se encontravam armados e em situação muito suspeita na zona de Tira Chapéu, na cidade da Praia.

De acordo com comunicado da PN, no local, ao se aperceberem da presença policial, os suspeitos puseram-se em fuga e, imediatamente, foram perseguidos, resultando dali disparo de armas de fogo, que terá atingido o agente de primeira classe Hamilton Morais, que foi socorrido imediatamente pelos colegas e transportado para o Hospital Agostinho Neto, onde viria a falecer, momentos depois.

No dia 23 de Novembro, um agente da Polícia Nacional, de 38 anos, foi detido pela Polícia Judiciária, como suspeito da autoria material do assassinato de Hamilton Morais e se encontra em prisão preventiva.

No dia 20 de Abril, o Ministério Público comunicou a acusação de mais um indivíduo no caso da morte do agente policial Hamilton Morais, tratando de acordo com a instituição de de um arguido de 19 anos que, no momento do acontecimento, “estava a ser abordado pela vítima”.

A este indivíduo, prossegue a mesma fonte, foi imputado, em autoria material, a prática de um crime de detenção ilegal de arma de fogo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.