O anúncio de Trump foi feito através da rede social Twitter.

Na mesma mensagem, o chefe de Estado norte-americano referiu que escolheu Gina Haspel para liderar a agência de espionagem norte-americana (CIA). Gina Haspel será a primeira mulher a ocupar este cargo.

"Mike Pompeo, diretor da CIA, irá ser o novo secretário de Estado. Irá fazer um trabalho fantástico! Obrigado a Rex Tillerson pelos seus serviços! Gina Haspel vai ser a nova diretora da CIA, a primeira mulher a ser escolhida para este cargo. Felicitações a todos!”, escreveu Trump na rede Twitter.

“Como diretor da CIA, Mike mereceu os elogios de membros dos dois partidos, ao reforçar o nosso coletivo de informações, ao modernizar as nossas capacidades ofensivas e defensivas e criando fortes laços com os nossos aliados na comunidade de serviços de informação”, prosseguiu.

Mike Pompeo já reagiu à nomeação, declarando estar “profundamente grato".

Momentos depois do ‘tweet’ matinal de Trump, um alto responsável norte-americano veio explicar que a substituição de Rex Tillerson se deve ao facto de o Presidente querer mudar a sua equipa para as eventuais negociações com a Coreia do Norte.

Mike Pompeo irá assumir a liderança do Departamento de Estado norte-americano alguns dias depois do inesperado anúncio de um possível encontro, de contornos inéditos, entre Trump e o líder norte-coreano Kim Jong Un. O local, a data e outros aspetos deste encontro ainda estão por determinar.

Rex Tillerson, que tinha iniciado na semana passada o seu primeiro périplo pelo continente africano, decidiu na segunda-feira encurtar esta viagem e antecipar o regresso a Washington. A equipa de Tillerson disse na altura que o representante tinha encurtado em um dia a permanência na Nigéria devido a "trabalho urgente" em Washington.

Em dezembro de 2016, a escolha de Rex Tillerson, então presidente-executivo do gigante petrolífero Exxon Mobil com ligações reconhecidas ao Kremlin, para liderar a diplomacia dos Estados Unidos gerou controvérsia.

Sem qualquer experiência diplomática ou governativa, Tillerson foi apresentado ao mundo como próximo do Presidente russo, Vladmir Putin, e do Kremlin.

O próprio chegou a confessar ter ficado “boquiaberto” quando Trump lhe fez o convite para liderar o Departamento de Estado e admitiu que só assumiu a pasta porque a mulher o convenceu.