O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, disse ao seu homólogo da Autoridade Palestiniana, Mahmoud Abbas, que um Estado palestiniano independente deve ter Jerusalém Oriental como a sua capital, informou hoje a agência estatal de notícias Anadolu.

A conversa telefónica entre os dois líderes ocorreu no sábado à noite, segundo a Anadolu.

Mahamoud Abbas manteve, este fim de semana, conversas telefónicas com diversos líderes mundiais para alertar sobre as posições dos Estados Unidos em relação à transferência da sua embaixada de Telavive para Jerusalém.

"O estabelecimento de um Estado palestiniano independente e soberano, com Jerusalém Oriental como sua capital, é necessário para garantir a paz e a estabilidade no Médio Oriente", declarou Erdogan a Abbas, de acordo com fontes presidenciais citadas pela Anadolu.

Erdogan também reiterou o seu apoio à "justa causa" do povo palestiniano, dizendo que o levantamento das restrições na Faixa de Gaza ajudaria a trazer a paz, segundo a Anadolu.

A comunidade internacional nunca reconheceu Jerusalém como a capital de Israel e nem a anexação da sua parte oriental, conquistada em 1967, na Guerra dos Seis Dias. Assim, as embaixadas estrangeiras em Israel foram estabelecidas em Telavive.

O movimento islâmico Hamas prometeu no sábado uma nova “intifada” se a Administração norte-americana avançar numa das principais promessas que fez Trump durante a campanha eleitoral, de transferir a sua sede diplomática em Israel.

Até ao momento, Trump não assinou o decreto de 1995 para efetivar a transferência, podendo prorrogar o seu cumprimento por seis meses, algo a que recorriam periodicamente os ex-presidentes Bill Clinton, George W. Bush e Barack Obama.

Para compensar esta prorrogação, Trump examina agora a possibilidade de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel, segundo funcionários da Casa Branca, ainda que a comunidade internacional negue a soberania israelita na zona oriental da cidade.

Lusa