As autoridades locais preparam, “ao pormenor”,  a participação do Porto Novo no  quarto Fórum Mundial de Desenvolvimento Económico Local, agendado para Outubro, na Cidade da Praia, evento que este município quer aproveitar para mostrar as suas potencialidades.

Quem o diz é o edil do Porto Novo, Aníbal Fonseca, para quem a ideia é aproveitar esse evento internacional para apresentar “o lado bom” deste município santantonense, as suas potencialidades económicas e partilhar as suas experiências em termos de integração das populações rurais.

Segundo este autarca, Porto Novo apresenta ainda níveis de desenvolvimento “pouco satisfatórios”, mas, em compensação, possui “um grande potencial” que, uma vez explorado, pode fazer, nos próximos dez a 20 anos, deste município “uma centralidade de referência” no contexto nacional.

Além do potencial turístico de que dispõe, Porto Novo tem uma extensa área de terrenos ao longo da costa que poderá ser explorada para fins económicos, segundo Anibal Fonseca, reiterando o desejo de aproveitar esse fórum para promover o concelho como destino de investimentos.

A eletrificação da comunidade encravada de Monte Trigo, através de energias renováveis, é “uma experiência bem sucedida” em termos de integração das populações no meio rural que o executivo camarário pretende partilhar no  quarto Fórum Mundial de Desenvolvimento Económico Local, promovido pelo Governo de Cabo Verde.

“Acreditamos, sem reservas, no concelho do Porto Novo, que, dentro de dez a 20 anos, será um município de referência a nível nacional, com uma economia possante”, sublinhou o presidente da edilidade portonovense.

O quarto Fórum Mundial de Desenvolvimento Económico Local, que se realiza, na Cidade da Praia, de 17 a 20 de outubro, é promovido pelo Governo de Cabo Verde, em parceria com os municípios e outros parceiros e tem como propósito fomentar o diálogo global sobre o desenvolvimento económico local, através da partilha de experiências e reforço de alianças entre as partes envolvidas.

A promoção da cooperação a nível nacional e estímulo das políticas de desenvolvimento económico local para a implementação das metas de desenvolvimento sustentável a nível local constituem outros objetivos desse fórum, cuja organização conta ainda com a parceria do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), a Organização Internacional do Trabalho, a Rede Mundial de Cidades e Governos Locais Unidos.

O Fundo Andaluz de Municípios para a Solidariedade Internacional, a Organização das Regiões Unidas (ORU-FOGAR), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) e o Município e a Cidade Metropolitana de Turino (Itália) são outros parceiros com que Cabo Verde conta na realização do evento.

São esperados, para esta edição, cerca de 2000 participantes em representação de governos locais, regionais e nacionais, representantes de organizações multilaterais, académicos e instituições de cooperação internacional, bem como organizações sociais e económicas.

Depois da Europa (Espanha e Itália) e América Latina (Brasil), o fórum chega agora à África, tendo Cabo Verde sido escolhido como país anfitrião.

O Fórum Mundial de Desenvolvimento Económico Local, que se realiza de dois em dois anos, teve início em 2011, em Sevilha (Espanha).

Em 2013, foi a vez do Brasil receber o encontro que, em 2015, teve lugar em Turim (Itália).

SAPO c/Inforpress

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.