Pedro Lopes foi selecionado entre os 10 mil  candidatos para fazer parte do lançamento do primeiro programa em África da Fundação Obama, que vai acontecer em finais do mês de julho, em Joanesburgo, na África do Sul.

“Este tipo de oportunidades mostra que  as pessoas estão de olho naquilo que a juventude cabo-verdiana está a fazer”, frisou Pedro Lopes num exclusivo à Inforpress, depois da assinatura de um acordo tripartido em formação profissional entre a Escola de Hotelaria e Turismo, Fundo do Ambiente e o Ministério das Finanças.

Para o governante, essa indicação significa um “orgulho” para a juventude cabo-verdiana em tudo que está a fazer por Cabo Verde.

Adiantou que haverá “treino intensivo” com o ex-presidente Obama e a sua equipa, sendo que posteriormente vai ser um ano de acompanhamento com oportunidades de formações em recursos online.

“A minha responsabilidade neste caso vai ser de multiplicação de conhecimentos”, notou o secretário de Estado, enaltecendo a importância da Fundação Obama para a formação de novos líderes africanos.

Esta iniciativa lançada pelo Presidente Obama e pela sua esposa, Michelle Obama tem como objetivo encetar esforços para apoiar e desenvolver a próxima geração de líderes.

Pedro Lopes, 32 anos, foi selecionado em abril para integrar a lista global das 100 pessoas mais Influentes de ascendência africana (MIPAD 100).

A sua escolha deveu-se ao trabalho realizado na sociedade civil, nomeadamente na liderança da organização de empoderamento juvenil Geração B-Bright, e pela licença internacional para organizar o primeiro TEDx de Cabo Verde.