O governante deu essa explicação quando respondia hoje no Parlamento, às perguntas colocadas pelos deputados do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), que acusou o seu ministério de estar a discriminar alguns oficiais que atingem o limite de idade, mandando-os para casa e premiando outros, nas mesmas circunstâncias, com cargos, quando a saída justa seria o tratamento com base na igualdade e no respeito.

“Não corresponde a verdade que esteja a haver discriminação entre os oficiais da Polícia Nacional para questões de limites de idade e aposentadoria e não é verdade também que se aposentou algum oficial para que ele não pudesse beneficiar de pensão de reforma na forma como devia ser”, disse o governante que não avançou, entretanto, mais informações sobre o caso do agente na ilha do Sal e o processo de castigo dos agentes sindicalistas sendo que ambos estão pendentes.

Em relação ao sector da segurança privada, informou que foi criado um grupo de trabalho que tem estado a trabalhar nas propostas e soluções concretas, para serem apresentadas no próximo encontro agendado para o dia 22 de Junho e que contará com a presença do Governo, associação da segurança privada, sindicatos e empresas.

“Temos definido uma agenda nacional em matéria de segurança com prioridades por vários anos e que implicam um pacto em relação à segurança pública envolvendo o Governo, municípios a sociedade civil e as suas organizações”, concluiu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.