O plano de actividades e o orçamento da Câmara Municipal da Praia para 2016, no valor de dois milhões e quatrocentos e cinquenta milhões de escudos, foram aprovados com votos favoráveis do MpD e contra do PAICV.

Os dois instrumentos de gestão camarária foram submetidos a votos na XI sessão ordinária da Assembleia Municipal da Praia, do mandato 2012-2016, que decorreu segunda-feira e hoje, nos Paços do Concelho.

Assim, o município da Praia vai ter 2.324.278.818,40 milhões de escudos para gerir em 2016, sendo que deste montante 1.0757.018.818,40 correspondentes às despesas de funcionamento (46%) e 1.249.260.000,0 às de investimento (54%).

Em declarações à imprensa, o líder da bancada do Movimento para a Democracia (MpD, que gere a Câmara Municipal), João Tomar, avançou que com a aprovação do orçamento 2016 a câmara vai continuar a trabalhar segundo o lema “Pa continua ta trabadja” (Para continuar a trabalhar) e investindo em todas as áreas necessárias.

“Vamos fazer o nosso investimento tendo sempre em atenção os recursos existentes, e fazendo o que chamamos de eficiente e eficaz no uso dos recursos que são públicos”, declarou.

Já o porta-voz do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), Manuel Teixeira, justificou o voto contra do seu partido com o facto de o orçamento 2016 ser “irrealista”, tendo em atenção que “não vão conseguir atingir os objectivos na arrecadação de receitas referente ao ano 2015 e 2016”.

“A Câmara Municipal da Praia está a utilizar o subterfúgio de endividamento, tendo neste momento, uma dívida para com as instituições no valor de três bilhões de escudos. Isso é um exagero que pode trazer consequências nefastas para a autarquia”, afirmou.

A sessão ordinária analisou as propostas de deliberação que aprova o orçamento retificativo 2015, que aprova o plano de actividades do município da Praia, para o ano 2016 e a que aprova o orçamento do município da Praia, para o ano 2016.

Estiveram ainda em análise, a proposta de deliberação que declara nulo o contrato de cedência de um lote de terreno efectuado pela Câmara Municipal da Praia a favor do empreendimento turístico Tarrafal SI; a proposta que autoriza a Câmara Municipal a alienar e a constituir direito de superfície sobre terrenos para áreas verdes e de cultivo, entre outras.

SAPO c/ Inforpress

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.