O Dia das Nações Unidas celebra o aniversário da Carta fundadora, o documento que incorpora as esperanças e aspirações da organização mundial. Em dia de aniversário, a ONU relembra “mulheres e homens que trabalham para dar significado a essa Carta, que apesar das adversidades e obstáculos nunca desistem”.

Em mensagem oficial, o secretário-geral da ONU, o português António Guterres, afirma: “A pobreza extrema tem vindo a ser reduzida, mas vemos a desigualdade a crescer. No entanto, não desistimos porque sabemos que, ao reduzir a desigualdade, aumentamos a esperança, a oportunidade e a paz em todo o mundo.”

Na mesma mensagem, a ONU relembra ainda a preocupação com as alterações climáticas e com os direitos humanos.

António Guterres afirma que os direitos humanos estão ainda a ser violados em muitos lugares e reafirma a persistência da organização em lutar pela dignidade humana, realçando ser “uma condição básica para a paz”. “Os conflitos estão a multiplicar-se, as pessoas estão a sofrer, mas não desistimos. Sabemos que todo o homem, mulher e criança merecem uma vida de paz”, reforça o líder das Nações Unidas.

A mensagem termina com a reafirmação do compromisso, de forma a “curar o planeta” e a “não deixar ninguém para trás”, lembrando o mote da criação da ONU.

Esta organização nasceu oficialmente há 73 anos, após a II Guerra Mundial, com a Carta que se celebra hoje ratificada por 51 estados membros fundadores. Hoje, a organização é composta por 193 estados membros com o mesmo objetivo de unir esforços em prol da paz, justiça, dignidade humana e bem-estar de todos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.