“Estou preocupado pelo que está a acontecer na Nicarágua”, declarou o papa, referindo “confrontos que causaram algumas vítimas”.

Francisco pediu “o fim da violência” e que “se evite um inútil derramamento de sangue”, apelando a que “as questões se resolvam pacificamente e com sentido de responsabilidade”.

Os protestos na Nicarágua contra a reforma da segurança social começaram na quarta-feira e, segundo o Governo, já causaram 10 mortos.

Organizações humanitárias falam de 24 vítimas mortais nos confrontos durante as manifestações.

O Presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, rompeu no sábado o silêncio que tinha mantido desde o início das manifestações para assegurar que o seu Governo está aberto ao diálogo sobre a reforma.