A informação foi avançada hoje pela coordenadora residente do Escritório Comum das Nações Unidas em Cabo Verde, Ana Graça, na abertura do workshop nacional para a definição das principais actividades, bem como o quadro orçamental e discutir e aprovar os produtos, os indicadores, as linhas de base e as metas para o ano em curso.

“Estimamos que vamos terminar hoje esse planeamento e estimamos que vai ser também à volta dos 15 milhões de dólares [1,5 milhões de contos] numa tendência que tem vindo a verificar nos últimos três anos”, disse.

Desse montante, conforme explicou, metade são fundos próprios das Nações Unidas e a parte restante resulta de outros compromissos já assinados com os parceiros de desenvolvimento.

“Se mobilizarmos mais, implementaremos com todos os nossos parceiros nacionais mais do que 15 milhões de dólares”, disse indicando que 80% deste montante já está disponível.

Ana Graça prevê que o 2020 seja o ano da aceleração das acções que têm vindo a ser realizadas no âmbito da implementação do Quadro de Cooperação das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável para o período 2018-2022.

As prioridades continuam a ser as áreas sociais como a saúde, a educação, a protecção social e a igualdade de género, bem como outras áreas críticas como o crescimento económico inclusivo, reforço dos programas relacionados com os jovens, emprego e empregabilidade dos jovens.

O desenvolvimento local, através do programa e fundo de descentralização para os 22 municípios, ambiente e de forma particular a questão da biodiversidade, são outras áreas que continuam a merecer atenção do Plano de Trabalho de Conjunto.

Entretanto, a coordenadora residente do Escritório Comum das Nações Unidas destaca a grande enfase que vai ser dada, neste ano de 2020, à economia azul.

“Trata-se de um sector com grande potencial em Cabo Verde e esperamos poder aumentar e incrementar as acções ao nível da economia azul, na criação de mais empregos e apoiar as pequenas e médias empresas que trabalham nesse sector, seja a nível das pescas, aquacultura, mas também na protecção, nos estudos e investigação dos oceanos”, disse.

O plano conjunto de trabalho é o instrumento de planificação estratégica conjunta das Nações Unidas em Cabo Verde, como resposta concertada aos desafios de desenvolvimento sustentável do país, ancoradas nas agendas 2030 e 2063 e nos ODS, cuja materialização é feita através do Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável (PEDS) e dos planos estratégicos nacionais, regionais e locais.

O director nacional de Cooperação Internacional, Júlio Morais, adiantou que esta cooperação esta alinhada com os cinco eixos designadamente pessoas, prosperidade, planeta, paz e parceria.

Júlio Morais espera que do workshop com as Nações Unidas saiam elementos novos que permitam implementar as estratégias definidas no programa do Governo para as áreas prioritárias.

Inforpress/fim

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.