Durante a instrução, foram, segundo o MP, recolhidos novos elementos indiciadores da prática de outros ilícitos criminais, não abrangidos na primeira denúncia feita ao Ministério Público.

O Ministério Público proferiu então um despacho de encerramento da instrução em relação aos factos imputados à arguida já constituída, deduzindo acusação e requerendo julgamento da arguida, pela prática, em autoria material, de um crime de peculato.

Em relação aos novos factos apurados, os respectivos autos continuam, disse o MP, em investigação e, por isso, em segredo de justiça.

Nair Semedo foi presa a 03 de Julho deste ano pela Polícia Judiciária, em cumprimento de um mandado do Ministério Público, sob suspeita de crimes de peculato e infidelidade administrativa, supostamente praticados durante a organização do evento.

Esta foi contratada para a função em Dezembro de 2018, foi apresentada ao Tribunal da Comarca da Praia que lhe aplicou a medida de coação de interdição de saída do país.

Os I Jogos Africanos de Praia (COJAP) aconteceram de 14 a 23 de Junho, na ilha do Sal. Tratou-se do maior evento jamais realizado em Cabo Verde, tento trazido para o país, mais concretamente, para a ilha turística, cerca de mil atletas e 500 oficiais, oriundos de 54 países africanos.

Foram realizados sob a égide da Associação de Comité Olímpicos Nacionais Africanos (ACNOA) e contemplaram 11 modalidades ligadas ao mar: atletismo, basquetebol 3×3, andebol de praia, ténis de praia, futebol de praia, remo no mar, futebol freestyle, karaté kata, kitesurf, e natação em águas abertas.

Marrocos foi o grande vencedor desta primeira edição dos Jogos Africanos de Praia, marcados pelo domínio dos países do Magrebe. Ainda assim, Cabo Verde superou os restantes países, ficando na quarta posição no ranking de medalhas, num universo de 43 nações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.