O governante chegou a anunciar a decisão no decurso de uma reunião à porta-fechada da União Social Cristã (CSU) em Munique, durante a noite de domingo, e na qual se discutia política migratória que está a dividir Merkel e o seu ministro, que é também líder do partido conservador da Baviera, que integra a “grande coligação” com a CDU e os sociais-democratas do SPD.

“Vamos ter mais conversações com a CDU em Berlim, na esperança de que se consiga alcançar um acordo”, disse hoje Seehofer aos jornalistas, após uma reunião que durou quase oito horas. “Depois, vamos ver o que acontece”, acrescentou.

O conflito interno dos conservadores alemães está relacionado com o tratamento dos imigrantes que chegam à Alemanha, mas que já se encontram registados em outros países europeus.

O ministro defendia o seu reenvio para a fronteira, uma opção rejeitada por Angela Merkel para não criar um “efeito dominó” na Europa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.