“[Matteo Salvini] conhece muito bem as nossas posições. Nós vamos apoiá-lo. Nós vamos, evidentemente, fazer uma campanha com as mesmas linhas políticas” disse Marine Le Pen à estação francesa Radio Classique.

Le Pen acrescentou: “Temos uma grande amizade e eu tenho um grande respeito pelo que ele [Matteo Salvini] está a tentar fazer”

“Com todos aqueles que partilham na Europa as nossas ideias vamos, efetivamente, fazer uma revolução democrática europeia”, sublinhou a deputada francesa referindo-se às vitórias da extrema-direita em Itália e na Áustria.

“O nosso objetivo não é conseguir mais um ou dois eurodeputados. O nosso objetivo é podermos constituir uma coligação maioritária no Parlamento Europeu para pararmos com o rumo louco que a União Europeia está a trilhar”, disse Marine Le Pen que não vai ser cabeça de lista, mas vai participar na campanha e nas eleições que se vão realizar em 2019.

Para Marine Le Pen “não existe Europa sem nações livres e soberanas e acusou o chefe de Estado francês, Emmanuel Macron, de não estar a defender a Europa mas sim a União Europeia.

“Uma estrutura antidemocrática (…) com resultados absolutamente catastróficos nos planos social e económico”, criticou referindo-se à União Europeia.