A ilha de Santiago vai receber os 130 imigrantes clandestinos que chegaram ao Sal esta quart-feira, para depois repatriá-los para os países de origem.

Em declarações à Agência Lusa, o comandante da Polícia Nacional de Cabo Verde, Carlos Graça confirmou que está a ser preparada a viagem dos imigrantes para Santiago, devendo os mesmos ficar na Cidade da Praia, em duas esquadras da polícia, e outros no comando regional do Tarrafal.

Segundo a mesma fonte, os imigrantes identificados são oriundos da Guiné-Bissau, Senegal e Gâmbia.

Quarta-feira seguiram para a ilha do Sal dois elementos da Direcção de Estrangeiros e Fronteiras, que estão a trabalhar na identificação dos imigrantes, alguns dos quais chegaram a Cabo Verde a necessitar de cuidados médicos.

A piroga com 130 imigrantes clandestinos, entre os quais cinco crianças e uma mulher, chegou quarta-feira à Baía de Pedra de Lume, na ilha do Sal.

As autoridades cabo-verdianas fizeram de imediato um rastreio para detectar eventuais casos de cólera, uma doença epidémica na Guiné-Bissau, mas segundo a polícia não foi encontrado qualquer caso.

Mayra Fernandes@ com Lusa