Agradecendo o gesto de confiança nele depositado, João Alípio Dias Monteiro quer acreditar que o futuro será pautado por uma relação de “confiança, dedicação, persistência e entrega”.

“Elementos cruciais para cumprir os objectivos a que se propõe”, frisou, referindo que receber o cargo para comandar os destinos desta região militar é motivo de “orgulho e de satisfação”, aliás, casa, conforme lembrou, onde iniciou a sua carreira militar, como oficial do quadro permanente das Forças Armadas.

“Tenho a noção rigorosa, exigente sobre o que esperam da minha pessoa. A mim, cabe-me cumprir e assegurar total disponibilidade, empenho, zelo e lealdade, nunca desiludir, antes enobrecer as novas funções do comandante da 2ª Região Militar”, autenticou, esperando contar com a colaboração de todos.

“Mais do que obras, mais até do que exigências, o rigor e a transparência do excelente trabalho demonstrado pelo comandante cessante, demonstra a capacidade que as Forças Armadas têm de com pouco fazer muito”, exteriorizou, destacando como imperativo no exercício das suas funções consolidar os ganhos alcançados e preparar para atingir “novas metas e resultados”.

“Apostando na dedicação, vontade de fazer e no espírito de missão”, concretizou, ressaltando que a tomada de posse do comando que hoje se inicia abre “novo ciclo na vida” desta unidade militar.

“Será um ciclo de trabalho e de tudo fazer para que as Forças Armadas sejam cada vez mais uma instituição credível, fiel aos seus ideais e dignas das expectativas da Nação cabo-verdiana. Peço-vos que me desejem sorte nessa região militar”, rogou, fazendo fé que com trabalho e ajuda de todos ter-se-á um comando da 2ª Região Militar “muito melhor”.

Ciente da enorme responsabilidade que o espera, João Alípio manifestou, para terminar, que o que pretende fazer “apenas será alcançado” se se tiver recursos humanos empenhados e envolvidos a todos os níveis e funções.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.