Esta proposta resulta, segundo a mesma fonte, da apreciação feita pela comissão de avaliação à primeira proposta apresentada, tendo sido exigido ao concorrente a submissão de algumas peças e informações suplementares, visando o cabal cumprimento dos requisitos estabelecidos no caderno de encargos.

A proposta apresentada será avaliada, novamente, pela referida Comissão de avaliação, nomeada por despacho conjunto do ministro das Finanças e do ministro do Turismo e Transportes e assessorada por peritos internacionais em Direito Comercial, transportes aéreos e privatização.

Em declarações à imprensa estrangeira, o Diretor-Geral da Loftleidir Islandês, Árni Hermannsson, defendeu que a participação na aquisição de uma participação maioritária na Cabo Verde Airlines oferece “grandes oportunidades” para a Loftleidir Icelandic, especialmente à luz do crescimento esperado na demanda de passageiros na África nos próximos anos.

“Já participamos na reestruturação da empresa, e as operações da Cabo Verde Airlines estão bem adaptadas aos projetos da Loftleidir Icelandic em todo o mundo. O conhecimento e a experiência já disponíveis na Loftleidir Icelandic e suas empresas-irmãs são bem-sucedidas na reestruturação da empresa e continuarão a ajudar em novos desenvolvimentos”, disse.

Outras oportunidades estão, segundo a mesma fonte, relacionadas com o uso compartilhado de aviões da frota do Grupo Icelandair, e equipes, quando aplicável, como já está sendo feito em vários projetos.

“Ao desenvolver rotas de conexão, podemos também aprofundar a experiência da Icelandair. No caso da Cabo Verde Airlines, temos oportunidades para rotas de conexão bem organizadas entre a Europa e a América do Sul, por um lado, e a África Ocidental e a América do Norte, por outro, juntamente com a África Ocidental e a Europa. A localização da ilha é ideal para desenvolver voos de conexão”, finalizou.

GSF/JMV

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.