Mirko Manzoni felicita o Presidente da República, Filipe Nyusi, e o coordenador da Comissão Política da Renamo, Ossufo Momade, "por colocarem os interesses dos moçambicanos, pelo alcance da paz, em primeiro lugar, como evidenciam os seus consensos em matéria de assuntos militares", refere em comunicado.

"A reunião na Beira", realizada na quarta-feira, "e a decisão de manterem o espírito do dialogo já anteriormente manifestado pelo antigo presidente da Renamo, Afonso Dhlakama, demonstra o seu compromisso pelo alcance de uma paz efetiva e sustentável no país".

"A reaproximação entre os dois líderes demonstra com toda a certeza a coragem política para concluir o processo", acrescenta.

Pelo seu lado, a Suíça "confirma o seu compromisso em continuar a apoiar o processo de paz", conclui.

O ex-líder da Renamo, Afonso Dhlakama, morreu a 03 de maio, devido a complicações de saúde, numa altura em que já tinha negociado com Nyusi a descentralização do poder, mas deixando por fechar o dossiê militar.

A Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), partido no poder e a que Nyusi preside, fez depender, em junho, a aprovação de legislação eleitoral, de avanços no processo de desmilitarização da Renamo.

O encontro de quarta-feira poderá desbloquear o impasse no parlamento e levar à aprovação de legislação de que depende o calendário eleitoral das autárquicas de 10 de outubro.