O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, hoje na Praia, durante a sua intervenção na apresentação do projecto de “Melhoria de diagnóstico médico em Cabo Verde”, que está a ser implementado em parceria com a FSE European Speleological Federation SA da Bélgica.

O projecto visa a melhoria da qualidade e eficácia no acesso às diferentes estruturas de saúde com a instalação de equipamentos de diferentes serviços de diagnósticos, como de análises clínicas, imagiologia e de consulta geral, e irá reforçar também a capacidade das estruturas primarias de saúde.

Para o chefe do Governo, trata-se de um projecto “muito importante” para o país, sendo que terá impacto a nível da melhoria das estruturas locais, centrais, e regionais de saúde, na diminuição e evacuações internas reduzir o encargo financeiro para as pessoas, mas também para o próprio estado em termos de organização do serviço nacional de saúde.

“Estamos a falar de cerca de 1 milhão de contos de investimentos para equipar 30 centros de saúde, dois centros de diagnóstico e dois hospitais regionais”, sublinhou Ulisses Correia e Silva que disse que esses impactos serão a nível de serviços de análises clínicas, imagiologia, fisioterapia, saúde oral, ginecologia obstetrícia e segurança nas transfusões.

Para o primeiro-ministro, trata-se de um sector prioritário na agenda 2030 não só para as populações como também para a economia de um país como Cabo Verde que tem o turismo como o sector crucial para o seu desenvolvimento.

Ciente da transição epidemiológica e demográfica, reconheceu que existem ainda vários desafios que implicam com a sustentabilidade do sistema de saúde, sustentabilidade da segurança social, garantir a qualidade nos serviços de saúde, tornar autónomos nas evacuações externas e criar condições para que as respostas do serviço de saúde estejam à altura.

“Nós estamos em transição epidemiológica e em transição demográfica não seremos um país jovem para sempre, em 2030 o número da população jovem vai começar a reduzir e de uma forma sistemática. Existem ainda vários desafios, uns que derivam da agenda 2030 de não deixar ninguém para atrás relativamente as necessidades de cobertura do serviço de saúde”, acrescentou.

Assegurou que neste momento o Governo está a trabalhar na remodelação do Hospital da Praia, projecto esse que, no seu entender, é tecnicamente muito exigente, requer investimentos avultados em termos de tecnologias, instalações e capacitação dos recursos humanos.

“Estamos a trabalhar para, ainda no decorrer deste ano, podermos apresentar o projecto em condições de adjudicação e de execução”, acrescentou o primeiro-ministro que considerou que é urgente criar as condições que aumentam a capacidade de resposta do país, para reduzir as evacuações externas e aumentar a segurança global do país.

O projecto inclui a instalação, formação e manutenção e serviços pós-venda de equipamentos de diagnóstico médico a todas as estruturas de saúde do país com maior incidência nas estruturas de atenção primária.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.