Segundo a directora nacional de Educação, Eleonora Sousa, que fez a abertura do evento, essa formação serve para reforças as competências no âmbito da Classificação Internacional da Funcionalidade (CIF), na elaboração do Relatório Técnico Pedagógico e no Plano Indicativo Individual.

“São instrumentos que foram aplicados pelas equipas no sistema de sinalização implementado no ano anterior e que queremos ver reforçada neste novo ano lectivo”, esclareceu a responsável, informando que o sistema de sinalização tem que ser actualizado todos os anos.

Essa actualização, clarificou, é para se ter a “real noção” das crianças com NNE que estão no sistema e saber como apoiar os professores.

Por sua vez, a formadora Célia Sousa, do Instituto Politécnico de Leiria (Portugal), considerou que essa formação demonstra o esforço que o país tem feito para a inclusão de alunos com NEE no sistema educativo.

O objectivo é também reforçar as competências técnicas dos profissionais da Educação Inclusiva no que se refere adaptação curricular e Tecnologia de Apoio na Educação Inclusiva.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.