Janira Hopffer falava à Inforpress, à margem da visita que realizou à Associação dos Deficientes Visuais de Cabo Verde (ADEVIC), Handicap (Instituição de Cariz Social), para se inteirar das preocupações constrangimentos dessas entidades, no âmbito da preparação do debate sobre o Estado da Nação.

Afirmou que o Governo tem promovido cortes na área social, concretamente os apoios socio-educativos, bolsas de estudos, apoio às famílias carenciadas, mas “não tem problemas” em apoiar alguns projectos e fazer aquisições de bens, que do seu ponto de vista “não constituem prioridades para o país”.

“Cabo Verde tem gastado muito com coisas supérfluas e tem se esquecido de questões fundamentais”, sustentou a líder do principal partido da oposição.

Afiançou ainda que o executivo, três anos depois, não conseguiu apresentar ao país um “programa consistente” de habitação, sobretudo para famílias mais carenciadas, para diminuir o défice habitacional que existe, seja do ponto de vista qualitativo, seja quantitativo.

“O país não tem recursos, entretanto não têm problemas em gastar mais de 600 mil contos num ano para deslocações, viagens e estadias”, observou.

Janira Hopffer Almada apontou também que o Governo tem gastado “balúrdios” em comunicação, marketing e promoção da sua imagem, quando há entidades de cariz social, com sérios problemas financeiros e falta de equipamentos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.