O primeiro-ministro, José Maria Neves, disse hoje que a passagem do furacão Fred pelo arquipélago deixou cerca de 50 famílias desalojadas e causou estragos em estradas, portos e aeroportos.

Segundo o primeiro-ministro, terão ficado desalojadas "cerca de 50 a 60 famílias em todas as ilhas", devido à passagem do furacão, que entretanto passou a tempestade tropical e se afastou do arquipélago.

José Maria Neves, que falava aos jornalistas em conferência de imprensa após uma reunião inter-ministerial para fazer uma primeira avaliação dos efeitos do furacão, adiantou que o Governo está a acompanhar a situação destas famílias.

"Das famílias que estão em escolas porque as suas casas são mais precárias, algumas regressarão às suas casas que não foram danificadas e as situações mais críticas terão respostas imediatas do Governo para apoiar no arrendamento de uma casa ou na reabilitação das suas casas", disse José Maria Neves.

O primeiro-ministro, que disse não ter uma estimativa financeira dos prejuízos causados pelo furacão, adiantou que a chuva e o vento forte causaram estragos em todas as ilhas.

"Há alguns estragos e infra-estruturas danificadas, particularmente nas ilhas do Sal e da Boa Vista, que foram as mais atingidas, mas há problemas um pouco por todo do país", disse.

José Maria Neves destacou a destruição do pontão de Santa Maria e a existência de danos no aeroporto, na ilha do Sal, bem como os estragos no aeroporto da Boa Vista.

Deu conta ainda, a nível global, dos danos registados em várias estradas e habitações, além de cortes de energia e dificuldades nas comunicações.

O primeiro-ministro congratulou-se com o facto de não ter havido vítimas e adiantou que nos próximos dias ele próprio e vários ministros do seu Governo estarão no terreno a avaliar os estragos e as intervenções necessárias.

"Felizmente não há perdas humanas, apenas estragos materiais", disse José Maria Neves, elogiando a resposta da Protecção Civil à situação.

Nos próximos dias, disse, será também feita uma avaliação técnica a todas as infraestruturas portuárias e às estradas para perceber as intervenções necessárias.

O primeiro-ministro adiantou que todos os aeroportos do arquipélago estão já a funcionar e que estão a ser tomadas todas as medidas para repor a navegação marítima.

Em curso estão também, segundo o chefe do Governo, acções para repor a acessibilidade de todas as praias, particularmente nas ilhas turísticas.

José Maria Neves garantiu ainda que o Governo está a trabalhar e "mobilizará recursos para repor a normalidade no país".

O furacão Fred, que na segunda-feira atingiu Cabo Verde, obrigou ao encerramento dos aeroportos das ilhas de São Vicente, São Nicolau, Sal e Boa Vista para operações domésticas.

A Protecção Civil colocou o país em alerta, aconselhando a população a manter-se em casa e afastada de locais de risco.

Lusa