Carlos Fernandinho Teixeira falava na cerimónia de abertura da segunda conferência dos municípios geminados com Mosteiros, cujo tema escolhido é “As parcerias enquanto motor de desenvolvimento dos territórios”.

O autarca disse que estava a referir-se às parcerias com as organizações não-governamentais (ONG), as associações de base comunitária, os pequenos e médios empresários, as agências e aos serviços que estão à frente da problemática dos objectivos do desenvolvimento sustentável e os colaboradores da autarquia, cujo contributo e empenho contribuíram para o desenvolvimento.

“Mosteiros sempre soube, ao longo dos anos, estabelecer fortes parcerias e pôde sempre contar com os seus parceiros, quer na definição, quer na implementação da sua agenda”, disse o autarca, lembrando que os programas de mobilização da água e o alargamento das redes de distribuição que existem hoje contaram inicialmente com um “forte engajamento” dos municípios geminados, sem falar dos programas de formação profissional, sectores estratégicos para o desenvolvimento dos Mosteiros.

Estas relações, defendeu, foram sendo reforçadas ao longo dos tempos e o município colocou sempre as parcerias e a cooperação no topo das suas prioridades, acrescentando que os municípios cabo-verdianos “não sobreviveriam”, enquanto entidades orgânicas, sem o compromisso da cooperação e dos princípios de solidariedade e subsidiariedade com outros poderes, públicos e privados, como o Governo central.

As conferências, segundo o mesmo, são uma “pedra fundamental” para o diálogo social e um mecanismo para dar sentido e valor aos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), mostrando-se convicto de que a segunda conferência constitui uma “oportunidade privilegiada” para partilhar ideias e compromissos, ouvir as experiências, corrigir os erros e “queimar algumas etapas” na busca de novas soluções para o futuro colectivo.

Depois de fazer um historial do processo de geminação dos Mosteiros, primeiro com Azambuja, ainda no período de Comissão Instaladora, e depois Entroncamento, após as primeiras eleições autárquicas naquele município, ambos municípios portugueses, Carlos Fernandinho Teixeira homenageou os pioneiros das geminações, nomeadamente João Benavente e José Cunha (Portugal) e Júlio Correia, primeiro presidente da câmara dos Mosteiros eleito.

O autarca afirmou estar ciente de tal como no ano passado em que se reflectiu “de forma profunda” um conjunto de temas, este ano, a medir pela experiência e percurso dos conferencistas, a declaração dos Mosteiros será “mais enriquecida” e servirá de orientação para acções futuras.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.