Após o Ministério Público português ter acusado sete das oito pessoas envolvidas no caso pelo crime de homicídio qualificado agravado e outro por crime de favorecimento por alegadamente ter escondido a arma do crime, Joaquim Rodrigues, pai do estudante, disse que a família está a acompanhar o processo e está confiante no desfecho do caso, salientando que é este o sentimento que reina no seio da família.

Este indicou que em se tratando de um caso com várias pessoas envolvidas, pelo menos oito, o processo está a decorrer num ritmo aceitável, com o Ministério Público a deduzir acusação num período de seis meses após a ocorrência, esperando que seja calendarizada o julgamento o mais cedo possível para o desfecho do processo.

A família de Giovani está a seguir o caso através do advogado constituído, mas também através dos órgãos de comunicação social portugueses e cabo-verdianos, e, não obstante a situação de pandemia que se vive, a família aguarda pelo julgamento e que a justiça seja feita, referiu Joaquim Rodrigues.

Luís Giovani dos Santos Rodrigues, 21 anos, morreu no dia 31 de Dezembro de 2019, vítima de agressão, em Bragança, Portugal, para onde tinha deslocado em Outubro do mesmo ano para formação em Design de Jogos Digitais, no Instituto Politécnico de Bragança.

A morte, segundo o Ministério Público português, ocorreu na sequência das lesões sofridas derivadas de agressões.

Luís Giovani era um dos mais promissores artistas dos Mosteiros tendo-se destacado na banda Beatz Boys, um grupo integrado por jovens formados pela paróquia de Nossa Senhora da Ajuda.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.