O Secretariado Executivo da CPLP deve identificar fontes de financiamento para o plano de atividades do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSAN), de acordo com uma resolução aprovada hoje na cimeira do bloco lusófono, em Cabo Verde.

De acordo com a resolução, é preciso incentivar o Secretariado Executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) “a identificar fontes de financiamento” para o plano de atividades do CONSAN-CPLP”, aprofundando a cooperação já existente com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) ou outros organismos e procurar novos parceiros para a execução de projetos do setor.

O documento saudou ainda a aprovação das Diretrizes de Apoio à Agricultura Familiar nos Estados-membros da CPLP e da sua ampla concertação com os Mecanismos de Facilitação de Participação no CONSAN-CPLP, apelando à sua disseminação no contexto dos Estados-Membros e internacionalmente.

A resolução também recorda que se realizou a II Reunião Ordinária do Conselho do CONSAN-CPLP, em Santa Maria, na Ilha do Sal, na segunda-feira, e saúda a sua declaração final.

Durante a XII conferência de chefes de Estado e de Governo da CPLP, que decorreu terça-feira e hoje, Cabo Verde assumiu a presidência rotativa da organização, por um período de dois anos, e com o lema "Cultura, Pessoas e Oceanos.

Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste são os Estados-membros da CPLP.

CSR // EL

Lusa/fim