Em entrevista à Inforpress, a delegada de Saúde disse que a Câmara Municipal e a Guarda Municipal já sabem da existência de hortas irrigadas com água de esgoto, sendo uma na zona de Trindade, propriedade de um chinês, e outra na localidade de Achada de São Filipe, que pertence a um cabo-verdiano.

Garantiu ainda que os processos para o desmantelamento já estão em curso, mas reconheceu que decorrem de forma lenta e burocrática.

“Essas hortas são irrigadas com águas que não são adequadas para a rega. As pessoas têm utilizado águas residuais, sem tratamento, e essa é a nossa preocupação, por causa da qualidade de produtos”, explicou a médica, explicando que nessas propriedades cultivam basicamente vegetais.

Para Uraldina Furtado esta é uma situação que põe em causa a saúde pública e que exige uma “intervenção imediata sem rodeios e sem burocracias”.

Mas, conforme a delegada de Saúde, tem havido pouco diálogo entre as instituições porque cada um atua de forma independente e, muitas vezes, o resultado não é o almejado.

“Por vezes, falta uma ou outra instituição que são fundamentais e que talvez se estivessem lá agilizavam o processo muito mais rapidamente. É isso que acontece no dia-a-dia”, afiançou a delegada de Saúde da Praia.