Na sua opinião, o facto tem a ver, com os homens e não com o actual regime constitucional, o semipresidencialismo.

Mané defende, por isso, a manutenção do actual sistema politico-constitucional, evitando que os poderes sejam concentrados numa única pessoa, neste caso o Presidente da República:

Igualmente, ouvido pela Voz de América, Raul Fernandes, antropólogo e vice-Reitor da Universidade Amílcar Cabral, diz que um dos factores da instabilidade na Guiné-Bissau está ligado a falta do exercício participativo dos cidadãos nos assuntos públicos:

Fernandes afirma, por outro lado, que não se pode falar da democracia sem democratas, respeitando mutuamente o valor democrático da minoria e da maioria expressiva

Acompanhe:

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.