Numa mensagem divulgada hoje pelo chefe de Estado, Jorge Carlos Fonseca refere que conversou nos últimos dias com empresários de São Vicente e da Boa Vista, duas ilhas com casos de covid-19 no arquipélago. Explica que abordou “a situação vivida e como veem as medidas em execução e o futuro imediato”, referindo-se ao “estado de emergência - seu fim, sua prorrogação ou a alteração de seus contornos e balizas”.

Ainda assim, Jorge Caros Fonseca, que decretou o estado de emergência desde 29 de março, após aprovação pelo parlamento, insistiu no alerta: “Não se pretenda solicitar ou exigir, em estado de exceção, a perfeição que não existia nem poderia existir na normalidade constitucional”.

Esta manhã, o Presidente da República vai conhecer um estudo com a projeção da pandemia de covid-19 para Cabo Verde, com a presença de técnicos e do Director Nacional da Saúde, Artur Correia.

Cabo Verde mantém sete casos confirmados de covid-19, provocada por um novo coronavírus, entre as ilhas da Boa Vista (4), de Santiago (2) e São Vicente (1), e um óbito.

O chefe de Estado acrescenta na mesma mensagem que já falou com o presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos, “no quadro das articulações” que deve “manter regularmente com o parlamento, em estado de emergência constitucional”.

“Ninguém está mais ciente do que o Presidente da República quanto à necessidade de manter vigente o quadro constitucional-democrático, à exceção do que foi suspenso ou limitado pelo decreto do estado de emergência. Designadamente, o direito de opinião, à crítica, a liberdade de expressão, de informação, enfim, a liberdade imprensa”, concluiu.

Cabo Verde cumpre hoje 12 dias, de 20 previstos, de estado de emergência para conter a pandemia provocada pelo novo coronavírus, com a população obrigada ao dever geral de recolhimento, com limitações aos movimentos, empresas não essenciais fechadas e todas as ligações interilhas e para o exterior suspensas.

O número de mortes em África ultrapassou as 500 num universo de mais de 10.500 casos registados em 52 países, de acordo com a mais recente atualização dos dados da pandemia no continente.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,5 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 87 mil.

Dos casos de infeção, cerca de 280 mil são considerados curados.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.