Paulo Rocha defendeu esta posição à imprensa, após visita as tendas de campanha de despiste da covid-19, nos bairros do Tira Chapéu e de Santa Aninha na Várzea.

Conforme apontou, nas últimas duas semanas, há um trabalho intenso em conjunto que está sendo feito nos bairros para a realização dos testes rápidos.

Disse que mais de “cinco mil testes” já foram realizados nos bairros, considerando ser fundamental não apenas na análise da prevalência da serologia nos bairros, mas também com um carácter preventivo, no sentido de que as pessoas passem a saber qual é o seu estado.

Das visitas que realizou, disse ter constatado uma “boa adesão” por parte das pessoas, mas, sobretudo, muita confiança e uma utilização quase que massiva das máscaras.

“Faço uma avaliação muito positiva, estamos com uma equipa grande e multisectorial, desde logo, o Serviço Nacional de Protecção Civil, as autoridades de saúde, a Cruz Vermelha, as Forças Armadas, uma forte parceria que tem ajudado bastante este trabalho de sensibilização”, ressaltou.

Por outro lado, com o fim do estado de emergência, o governante alertou que não se deve baixar a guarda, precisando que há um conjunto de precauções a tomar, medidas a observar e procedimentos muito rigorosos, sendo que a “responsabilidade individual é muito importante”.

Por sua vez, o presidente do Serviço Nacional de Protecção Civil, Renaldo Rodrigues, explicou que as tendas de campanha têm funcionado “bem”, assim como as medidas de segurança estabelecidas pelas autoridades.

“Temos tido uma atitude agressiva nos bairros, no sentido de massificar os testes rápidos, mas também de reforçar aquilo que é a presença das forças e dos serviços de segurança, no terreno”, salientou.

Contudo, realçou a importância de as pessoas manterem uma atitude preventiva nesta fase pós estado de emergência, para dar seguimento ao trabalho que até agora tem sido desenvolvido.

Cabo Verde regista 421 casos acumulados de covid-19, distribuídos pelas ilhas de Santiago (354), Boa Vista (56) e São Vicente (03).

Do total, registaram-se quatro óbitos, dois doentes transferidos para os seus países e 155 doentes recuperados. O país tem neste momento 248 casos activos.

Inforpress/Fim

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.