Em conferência de imprensa, o porta-voz do Conselho de Ministros, Fernando Elísio Freire, explicou que esse seguro é destinado a todos os trabalhadores de saúde que estão na linha da frente no combate ao novo coronavírus e que, segundo o governante, tem estado sempre presente e com e espírito de sacrifício.

“Até ao momento se há uma grande luta no País para ganharmos a guerra contra o vírus, temos que dar muito desse crédito aos profissionais de saúde porque estão na linha da frente a trabalhar arduamente”, precisou o porta-voz, que considerou que este seguro é um “acto e gesto de reconhecimento e de protecção” durante essa situação da pandemia da covid-19.

Fernando Elísio Freire disse que após a criação das condições do equipamentos de protecção individual, o Governo achou que era preciso dar o próximo passo e criar um serviço de seguro de vida para esses profissionais de saúde que eventualmente possam vir a perder a vida no combate à covid-19.

Entretanto, explicou que o beneficiário desse seguro vai ter de ser referenciado pelo Serviço Nacional de Saúde.

Para o governante, trata-se de uma medida “extremamente importante”, que vai permitir o “aumento da capacidade de intervenção” dos profissionais de saúde.

“Acreditamos que com mais esta medida estamos a reforçar ainda mais a protecção dos nossos profissionais que merecem um reconhecimento da própria sociedade cabo-verdiana pelo extraordinário trabalho, mas assim como os profissionais de outras áreas que tem estado na linha da frente da luta contra o novo coronavírus”, referiu

Na ocasião, assegurou que o Governo está a trabalhar num projecto para encontrar soluções para as pessoas, pais e encarregados de educação com crianças e que têm de ir trabalhar, já que as escolas, creches e o pré-escolar encontram-se fechadas, e poderá também fazer a articulação do teletrabalho “lá onde for possível”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.