Em nota publicada nas suas páginas oficiais, a AAC referiu que, na sequência do agravamento do surto do novo coronavírus a nível mundial e, como forma de impedir a pandemia no país, o Governo publicou uma resolução em 17 de março, interditando as ligações aéreas entre Cabo Verde e os países assinalados com a epidemia.

Em consequência, os operadores aéreos com voos de e para Cabo Verde tiveram de suspender as suas operações comerciais, levando à retenção de diversos passageiros nacionais, em vários países.

“Neste momento, desconhece-se a real dimensão da situação, pelo que a Agência de Aviação Civil tomou a iniciativa através da sua página para fazer o registo de todos os cabo-verdianos retidos no exterior e que tinham voos de ligação para o país e que pretendam regressar”, avançou a agência.

O registo será feito através de um formulário disponibilizado no seu ‘site’, que pretende saber a situação, o nome completo, documento de identificação, contactos, companhia aérea, em caso de possuir bilhete, país de acolhimento e a cidade.

“Através do formulário, a AAC irá criar uma base de dados de todos os nacionais retidos no estrangeiro, por forma a analisar a situação e propor soluções às entidades competentes”, concluiu a agência.

Além de saber quantos cabo-verdianos querem regressar do estrangeiro, a AAC também pretende ter uma base de dados com todos os estrangeiros (legalmente a residir no país) e que querem voltar aos seus países de origem por causa do novo coronavírus.

Cabo Verde registou até agora quatro casos de covid-19, sendo que o primeiro surgiu há uma semana, na ilha da Boa Vista. Tratou-se de um cidadão inglês, de 62 anos, que acabou por morrer esta semana.

Na mesma ilha, que entretanto foi isolada do restante arquipélago, foram confirmados mais dois casos, também turistas estrangeiros, e já esta semana confirmado o primeiro caso na cidade da Praia, ilha de Santiago.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais 480 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 22.000.

O continente africano registou até hoje pelo menos 73 mortes devido ao novo coronavírus, ultrapassando os 2.700 casos, em 46 países.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.