Financiado e executado pelo Governo da China, o projecto “Cidade Segura” ronda os 505 milhões de escudos em São Vicente, 147 milhões no Sal (Santa Maria e Espargos) e 100 milhões de escudos na Boa Vista, ficando Cabo Verde com a incumbência na execução das obras físicas nos centros de comando.

Estas informações foram avançadas durante o acto oficial do lançamento da segunda fase do projecto, ocorrido esta manhã no Palácio do Governo, no quadro da cooperação com China, com o executivo a garantir que a implementação do projecto “Cidade Segura” permitiu “ganhos consideráveis” no combate à criminalidade.

O ministro da Administração Interna enumerou a redução do tempo de resposta das ocorrências de forma “muita significativa”, respostas cada vez mais às solicitações, antecipar e impedir várias ocorrências, assim como o apuramento das responsabilidades a nível dos acidentes rodoviários como uma das vantagens deste projecto.

Paulo Rocha disse que o projecto iniciado desde 2017 vem conhecendo uma evolução gradual na esteira do que se havia pensado desde a sua génese com ganhos em contornos inovadores, “característico de um projecto que vem ganhando vida própria” pelo que enalteceu a parceria chinesa nesta cooperação desde a primeira fase.

O governante sublinhou o importante engajamento diplomático entre os executivos dos dois países que culminou na celebração de um acordo de cooperação económica e técnica no qual o Governo chinês concordou financiar o projecto.

Disse que a implementação do projecto “Cidade Segura” permitiu o apetrechamento da Polícia Nacional de modo a conferir meios que pudesse pôr em prática novos modelos de gestão da segurança pública, iniciado pela cidade da Praia, enquanto o espaço urbano que apresenta maior desafio e complexidade na resposta ao fenómeno criminal.

Já o embaixador da China em Cabo Verde, Du Xiaocong, destacou a excelência deste “primeiro projecto implementado pelo governo chinês em África Ocidental”, com o argumento que desempenha um papel significativo na melhoria da segurança em Cabo Verde, particularmente nas ilhas e cidades beneficiadas.

Considerou, por isto, que a China e Cabo Verde “estão olhando para o futuro através de novas fases de cooperação baseadas em tecnologias” no quadro da promoção da segurança pública local e aumento da segurança, afirmando que a primeira fase permitiu “reduzir o tempo de capacidade de respostas” e o nível de segurança e da criminalidade.

O projecto “Cidade Segura”, foi desenvolvido com o intuito de dotar os principais centros urbanos do país de uma estrutura de segurança pública que permite abordar as questões securitárias numa óptica preventiva e reactiva, com maior eficiência e eficácia, de modo a contribuir para a segurança pública, responder atempadamente a emergências, diligencias policiais e controlo da circulação de transportes.

Além das câmaras de segurança “integra uma componente fundamental de comunicações rádio, uma rede TLE exclusiva, que se tornou a primeira rede 4G do país, permitindo transmitir dados áudio e imagens, o que garante uma comunicação policial permanente e coordenada”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.