Este encontro com as primeiras-damas e mulheres empresárias da CPLP acontece no âmbito da XII Conferência de Chefes de Estado e de Governo desta comunidade lusófona, que arrancou esta terça-feira, na ilha do Sal e termina hoje.

Lígia Fonseca explicou, em declarações à Inforpress, que por se tratar de um projeto que também existe nos outros países, na Guiné-Bissau, Angola… a intenção foi mostrar o trabalho das Aldeias SOS aqui em Cabo Verde.

“As Aldeias SOS vivem do amor que conseguem reunir. Portanto, por onde vou tenho que divulgar este projeto para conseguir que mais pessoas aceitem esta nobre missão de serem madrinhas e padrinhos das Aldeias SOS, porque só assim é que garantimos que as crianças que estão aos cuidados das Aldeias SOS tenham melhor educação, acesso ao desporto, aos livros, já que vivem dessa solidariedade nacional e internacional”, manifestou.

Assim, como madrinha de honra destas Aldeias SOS, entende que tem o dever de ajudar, missão que, conforme disse, cumpre com muito carinho.

Durante essa conversa com suas homólogas e mulheres empresárias da CPLP, Lígia Fonseca destacou que as crianças das Aldeias SOS têm conseguido alcançar muitas vitórias, e que o projeto tem o seu sucesso, porque imbuído de “muito amor”.

“As crianças vivem em lar em que se pretende transmitir valores fundamentais sobre a família, a vivência em comunidade, a solidariedade, o respeito. Portanto, estamos a ajudar a formar pessoas, jovens, futuros adultos com espírito de solidariedade, da necessidade de contribuir para o bem do próximo e de retribuir o amor que receberam e de propagar”, enfatizou.

Lígia Fonseca concluiu que se cada jovem que seja atingido por este amor e crescido com todo o carinho, apesar de não poder estar com a sua família, conseguir retransmitir esses valores, está-se a contribuir para uma sociedade melhor.

Depois deste encontro, a primeira-dama, acompanhada do grupo de mulheres, foi visitar o “Projeto Nôs Casa”, no centro da cidade de Santa Maria.

No horizonte 2030, a Organização Aldeias Infantis SOS tem como meta garantir que ainda mais crianças tenham um lar protetor e igualdade de oportunidades de terem sucessos na vida, e liderar o movimento de cuidado infantil mais eficaz do mundo, para garantir que “nenhuma criança tenha que crescer sozinha.