“Para a União Europeia [UE], a situação humanitária no Haiti não é uma crise esquecida e, por isso, continuamos determinados em disponibilizar apoio vital às pessoas afetadas pela crise alimentar e nutricional no país”, salienta em comunicado o comissário europeu para a área da Ajuda Humanitária, Christos Stylianides.

Em causa está, por isso, um pacote de nove milhões de euros, que acresce aos 12 milhões de euros já disponibilizados em 2018, para “atender às necessidades alimentares e nutricionais urgentes dos haitianos”, adianta Christos Stylianides.

Segundo a Comissão Europeia, esta nova verba “ajudará as famílias que vivem em áreas mais afetadas pela crise” alimentar, num total de 130 mil pessoas, bem como “as crianças que sofrem de desnutrição aguda”, que ascendem a mais de 5.000.

“Ao mesmo tempo, a UE apoiará ações para reforçar a monitorização da situação alimentar e melhorar a qualidade da resposta humanitária”, indica o executivo comunitário na nota de imprensa.

O Haiti é o principal país beneficiário de ajuda humanitária da UE na América Latina e no Caribe.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.