Bernie Sanders, Elizabeth Warren, Amy Klobuchar, Joe Biden e Pete Buttigieg concentraram-se Bloomberg, que cresceu nas pesquisas com a ajuda de uma bombardeamento publicitário inédito, mas também atiraram-se uns aos outros em ataques pessoais no mais agressivo dos nove debates democratas já realizados.

Todos acusaram Bloomberg de tentar comprar sua chegada à Casa Branca e disseram que seu historial como“mayor e empresário não é bom o suficiente para vencer Trump.

“Estamos a competir com um bilionário que chama as mulheres de minas gordas e lésbicas com cara de cavalo”, disse Warren, senadora de Massachusetts, acrescentando que “nós, democratas, corremos um risco enorme se só substituirmos um bilionário arrogante por outro”.

Ao longo dos anos, Bloomberg foi acusado de fazer comentários sexistas e misóginos e alvo de várias ações civis que alegam discriminação contra as mulheres na empresa de comunicação que leva seu nome.

Ele não respondeu às alegações de Warren sobre os seus supostos comentários sobre mulheres, tirados de um livreto que lhe foi  atribuído em 1990 que supostamente compilou suas declarações ao longo dos anos.

Um porta-voz de campanha disse que Bloomberg “simplesmente não disse as coisas que alguém escreveu neste presente de mau gosto”.

Bloomberg, que entrou na disputa em Novembro e não concorreu nas quatro primeiras eleições primárias para se concentrar na chamada Super Terça, de 3 de Março, alcançou a segunda posição entre os democratas, ficando atrás de Bernie Sanders, de acordo com uma pesquisa nacional Reuters/Ipsos divulgada na terça-feira.

Ele disse durante o debate que usa a sua fortuna para uma causa importante.

“Gasto o meu dinheiro para nos livrarmos de Donald Trump, o pior Presidente que já tivemos. E se eu conseguir fazer isso, será uma grande contribuição para a América e para meus filhos”, disse.

Bernie Sanders foi também alvo de ataques relativamente ao sistema de saúde público e universal que o candidato defende, mas também por não ter divulgado os relatórios médicos depois do enfarte que sofreu em outubro próximo.

Nenhum dos democratas comprometeu-se a respeitar o candidato mais votado nas primárias, caso nenhum obtenha a maioria absoluta de delegados antes da Convenção Nacional Democrata, a realiza-se em Julho, na qual será escolhido o candidato do partido.

Bloomberg, Buttigieg, Warren, Biden e Klobuchar defenderam acordos nesse cenário.

Depois das eleições no Nevada neste fim de semana, os candidatos democratas voltam aos debates na terça-feira, 25, na Carolina do Sul, quarto Estado a realizar primárias prevista em 29 de Fevereiro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.