Sob lema “Djarmai na korasan”, António Ramos que falava esta terça-feira, durante a apresentação pública da sua candidatura, explicou que as razões que o levaram a aceitar este desafio, é trazer uma nova visão e postura na gestão camarária, acrescentando que muitos amigos e até pessoas das outras ilhas o vinha motivando para aceitar este desafio.

Aquele candidato defende que todos os munícipes devem ser tratados sem discriminação, pelo que defendeu que caso venha vencer o pleito de 25 de Outubro, vai implementar uma presidência próxima dos munícipes e implementar uma gestão transparente.

António Ramos garantiu que o seu propósito é trabalhar com foco nas pessoas, proporcionando-lhes melhores condições de vida, tanto a nível do emprego, acesso à água e melhores condições sanitárias, bem como a segurança e tranquilidade, baseado num desenvolvimento harmonioso, aproveitando dos recursos naturais existentes na ilha, desde da pesca, agricultura, criação de gado e da cultura e história da ilha.

“A situação socioeconómico na ilha é preocupante, principalmente na camada jovem, porque Maio é uma das ilhas com mais elevadas taxas de desemprego a nível nacional, e dados do INE indica-nos que 14% da nossa população encontrava-se desempregada no ano de 2019 e tudo indica que a situação será bem pior em 2020, devido ao momento em que vivemos com a covid-19”, sustentou.

António Ramos salientou que o turismo é um dos sectores essencial para o desenvolvimento da ilha, mas para tal defendeu que é preciso ser encontrado “bons investidores”, e acima de tudo que sejam construídos um aeroporto de médio porte, assim como um porto com as melhores condições, para proporcionar uma rápida mobilidade aos que pretendem visitar a ilha.

O acto da apresentação da candidatura contou com a presença do vice-presidente do PAICV, Rui Semedo.
A lista apresentada é liderada por António Ramos para Câmara e Alcídia Tavares para Assembleia.

WN/DR

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.