O edil do Sal, Júlio Lopes reconheceu, a esse propósito, se tratar de uma “nova abordagem por forma a fazer face às dificuldades que existem em matéria de segurança”, pelo que saudou a iniciativa realçando que a segurança se afigura como um elemento “importante” para Cabo Verde enquanto destino turístico.

Júlio Lopes enalteceu a determinação do Governo e das câmaras municipais em trabalhar para “preservar este grande activo”, porque, segundo disse, “o mal existe”, tornando-se deste modo necessário abordagens mais qualificadas, como “Cidade Segura”, para fazer face a essas ameaças e reduzir o nível de criminalidade que possa existir no país.

Conforme realçou o autarca, a ausência de políticas anteriormente nesse sentido, para poder suster o nível de criminalidades a nível nacional, tem contribuído para os casos de criminalidade neste momento, embora medidas adoptadas pelo Governo tem vindo a contribuir para garantir mais segurança às populações e aos visitantes.

Por sua vez, José Luís Santos, presidente da Câmara Municipal da Boa Vista que também esteve presente na cerimónia, enalteceu a importância do projecto que considera ser “muito importante”, realçando, por outro lado, estar ansioso para a sua implementação nas ilhas turísticas, por acreditar que “vai conferir maior segurança”.

Conforme destacou o autarca, esta aposta vai contribuir de forma decisiva para o desenvolvimento do turismo, mas também para segurança dos cidadãos nacionais e estrangeiros que escolhem Boa Vista para as suas férias na tranquilidade.

Por isso, diz-se esperançado que os trabalhos de implementação do sistema arranquem o quanto antes, para que as ilhas beneficiadas possam viver a ter maior clima de paz e estabilidade social.

A segunda fase do “Projecto Cidade Segura” ronda os 505 milhões de escudos para a ilha de São Vicente, 147 milhões para Sal (Santa Maria e Espargos) e 100 milhões de escudos para a ilha da Boa Vista, ficando Cabo Verde com a incumbência na execução das obras físicas nos centros de comando.

Financiado e executado pelo Governo da China, a segunda fase do projecto contempla as ilhas de São Vicente, Sal e Boa Vista e reforça a Cidade da Praia, numa ofensiva do Governo no sentido de dar combate à criminalidade e reforçar a segurança pública.

Além da instalação de câmaras de videovigilância, o projecto “Cidade Segura” contempla ainda uma componente fundamental, a de comunicações rádio, uma rede TLE exclusiva, que se tornou a primeira rede 4G do país, permitindo transmitir dados áudio e imagens, o que garante uma comunicação policial permanente e coordenada.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.