A afirmação é do presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina do Fogo, Alberto Nunes ao se pronunciar sobre a importância da realização de um evento desta dimensão na ilha do Fogo, observando que encontros do género eram sempre realizados na Praia, Sal, São Vicente ou Boa Vista, tendo a ilha do Fogo ganho mais visibilidade, ultimamente, devido à frequência de presença de ministros, sobretudo aqueles com responsabilidade nas áreas chaves da governação.

“A ilha do Fogo está a ganhar espaços para a realização de encontros do género” disse o autarca, realçando que a realização do encontro de CPLP na área de turismo é importante porque “Fogo é uma ilha turística por excelência”.

Segundo o edil, existem diferenças em relação ao Sal e Boa Vista, mas a ilha do Fogo tem a sua particularidade, ainda “muito mal explorada” neste momento.

“Se todos os foguenses, residentes e na diáspora unirem à volta dos problemas e soluções para a ilha, ela tem tudo para dar certo”, enfatizou.

Alberto Nunes, disse, por outro lado, que para isso acontecer é preciso uma mudança de mentalidade e deixar de culpabilizar os outros pelo insucesso.

Conforme observou, mudando a mentalidade e entender que qualquer cidadão é parte integrante de busca de solução, “a ilha vai longe”, lembrando ainda que a falta de articulação e de comunicação tem prejudicado o desenvolvimento da ilha e impedindo aproveitar as potencialidades que ela tem.

O autarca realçou, no entanto, que para além de projectar a imagem da ilha e mostrar ao mundo que é um sitio onde todos podem e devem visitar, o encontro em apreço mostra também ao Governo a necessidade de trabalhar mais na área dos transportes, tendo sublinhado que é preciso “mexer no aeródromo, porto, transportes aéreos e marítimos”, porque, explicou, “não é normal que existam pessoas que querem viajar para a ilha do Fogo e não há voos”.

Segundo Alberto Nunes, para lá de se ter registado um aumento de pessoas que queiram viajar para a ilha, é necessário dar maior resposta ao sector, porque com isso cria-se mais emprego, mais produção local, combatendo assim a pobreza.

De acordo com o autarca, resolvendo estes constrangimentos criam-se incentivos para as pessoas permanecerem na ilha, porque ela está a perder população por falta de oportunidades, “quando na realidade as oportunidades estão aqui na ilha”, disse, sublinhando que é necessário investir mais e evitar a politização e partidarização das coisas.

“Fogo é nosso activo principal e se não colocarmos isso como o foco principal a ilha não desenvolverá”, enfatizou.

A ilha do Fogo acolhe a partir de hoje até sexta-feira, 15, a Xª Reunião dos Ministros do Turismo da Comunidade dos Países da Língua Portuguesa (CPLP), dando seguimento à IX reunião realizada em 2017 no Brasil.

O evento em apreço visa atacar os desafios e oportunidades do enorme potencial que o turismo encerra no espaço CPLP e que, estrategicamente importa promover, dinamizar e explorar de forma sustentável este sector.

O encontro é precedido da VIª reunião de pontos focais de Turismo da CPLP, cuja sessão de abertura prevista para as 15:00 horas, é presidida pelo diretor-geral do Turismo e Transportes de Cabo Verde, Francisco Martins, e pelo presidente da Câmara de São Filipe, Jorge Nogueira.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.