António Manuel Mascarenhas Gomes Monteiro nasceu a 16 de Fevereiro de 1944 em Ribeira da Barca, no concelho de Santa Catarina, ilha de Santiago.

Formado em Direito, na Bélgica, onde chegou também a ser professor universitário, antes passou pela Guiné-Conakry, onde se juntou ao Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), então liderado por Amílcar Cabral.

Após a independência, foi secretário-geral da Assembleia Nacional entre 1977 e 1980. Em 1980, foi nomeado presidente do Supremo Tribunal de Cabo Verde.

Depois da adopção do multipartidarismo em 1990, anunciou a sua candidatura à Presidência da República de Cabo Verde, tendo ganho as eleições em 1991, apoiado pelo Movimento para a Democracia (MpD).

Foi Presidente da República de Cabo Verde entre 22 de Março de 1991 a 22 de Março de 2001, tendo sido o primeiro presidente eleito através de eleições democráticas através do sufrágio universal e pelo voto directo e secreto.

Depois de deixar a Presidência da República, em 2001, desempenhou funções como Presidente Grupo de Contacto da OUA em Madagáscar, que procurou mediar o conflito que eclodiu no curso das eleições presidenciais de Dezembro de 2001.

Liderou uma missão de boa vontade ao Togo após a morte do Presidente Gnassingbe Eyadema e da decisão das Forças Armadas togolesas para nomear o seu filho, Faurre Gnassingbe, para substituí-lo e também chefiou a missão da Francofonia que observou as eleições na Guiné-Bissau em Abril de 2014.

Nesse mesmo ano, após a renúncia do presidente Blaise Compaore, António Mascarenhas Monteiro foi nomeado pelo secretário-geral da Organização Internacional da Francofonia (OIF), Abdou Diouf, para liderar uma missão ao Burkina Faso.

Foi igualmente membro da Fundação de Liderança Global, uma organização que trabalha para apoiar liderança democrática, prevenir e resolver conflitos através da mediação e promover a boa governação na forma de instituições democráticas, mercados abertos, os direitos humanos e o Estado de direito.

Entre várias obras publicadas, o antigo chefe de Estado cabo-verdiano escreveu "O sistema de governo na Constituição cabo-verdiana de 1992" e "Os processos de democratização em África: o caso de Cabo Verde", além de numerosos artigos em revistas e jornais internacionais.

Foi agraciado com o Grande-Colar da Ordem da Liberdade de Portugal a 11 de Novembro de 1991 e o Grande-Colar da Ordem do Infante D. Henrique de Portugal a 8 de Junho de 2000.

António Mascarenhas Monteiro recebeu o grau honorífico de Doutor Honoris Causa, pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, em Portugal.

Morreu a 16 de Setembro de 2016, aos 72 anos, vítima de  cancro.

CM/AA

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.