O também presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago falava à agência Lusa um dia após o homólogo da Praia, Óscar Santos, ter sido atingido com um tiro no braço por homens encapuzados, quando chegava a um ginásio que frequenta na zona de Palmarejo Baixo.

"É claro que precisamos de mais segurança para os autarcas, enfrentamos riscos vários, este caso é um exemplo, e o Estado vai ter que garantir e melhorar questões de segurança para os autarcas", pediu Manuel de Pina.

O autarca lembrou que no passado alguns presidentes de Câmara já tiveram segurança e como agora estão a correr riscos, "seria de todo necessário" que o Estado resolvesse essa situação de garantir alguma segurança para os autarcas.

Para o líder associativo, os autarcas precisam de segurança nos momentos de mais riscos, sobretudo na saída e entrada de casa, nos edifícios públicos e nos locais que frequentam diariamente, como no ginásio onde Óscar Santos vai sozinho para fazer os seus treinos matinais.

"Ou seja, nos momentos em que a pessoa está mais vulnerável, poder-se-ia garantir alguma segurança", mostrou o autarca, que falou à Lusa por telefone a partir de Lisboa, adiantado que assim que regressar a Cabo Verde a questão será discutida com todos os colegas para ver o que se pode fazer.

Sobre o ataque ao colega da Praia, Manuel de Pina disse que se trata de uma "situação lamentável, inqualificável e de muita cobardia" e que não tem justificação.

"Estes atos não se justificam. Cabo Verde é um país livre e democrático, os tribunais funcionam, a política funciona à base da democracia, não há nenhuma razão que justifica este ato. Nem sequer há como qualificar um ato tão covarde do tipo", insistiu o presidente da ANMCV.

Manuel de Pina manifestou ainda solidariedade ao colega da Praia, garantindo que a associação dará toda a força e apoio necessários a Óscar Santos.

Óscar Santos tornou-se na segunda-feira no segundo autarca a ser agredido em funções em Cabo Verde, mas o primeiro a tiro, depois de há dois anos o colega do Maio ter sido agredido por um doente mental.

O presidente da Câmara Municipal da Praia foi baleado nas primeiras horas da manhã quando estaria a chegar ao ginásio que frequenta na zona do Palmarejo Baixo.

O autarca terá sido baleado pelas costas, com um único tiro, por encapuzados que fugiram do local, e foi socorrido por funcionários do ginásio antes de ser transportado para o Hospital Agostinho Neto.

De acordo com o diretor clínico do Hospital Agostinho Neto (HAN), Vítor Costa, o autarca sofreu uma lesão no braço, com fratura do úmero direito, mas está estável, sem lesões que possam ameaçar a sua vida e já está a recuperar em casa.

A Polícia Judiciária (PJ) de Cabo Verde anunciou a abertura de uma investigação e apelou à colaboração de quem tenha alguma informação que ajude a esclarecer o caso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.