Um grupo que usou o ‘hashtag’ “metooguru” reuniu cerca de 1.300 assinaturas numa petição, que decorreu ‘online’, a pedir uma reunião com o líder espiritual dos budistas para que fossem recebidos os testemunhos das alegadas vítimas.

No primeiro de quatro dias de visita à Holanda, o Dalai Lama esteve reunido cerca de 20 minutos com quatro representantes do grupo, que pediram para que usasse da sua autoridade moral para influenciar a fé.

“O que nós pretendemos é que ele seja claro sobre o facto de os líderes religiosos budistas tibetanos não estarem acima da lei”, disse Oane Bijlsma, uma das quatro pessoas presentes no encontro.

Na reunião, o Dalai Lama ter-se-á comprometido a agir, e disse que iria apresentar os relatos das 12 alegadas vítimas durante uma reunião com professores budistas sobre os abusos sexuais, físicos e psicológicos.

O Dalai Lama não prestou declarações aos jornalistas após o encontro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.