Um pouco por todo o mundo, estão a ser partilhadas nas redes sociais notícias falsas sobre a Covid-19. Em Moçambique, por exemplo, foi difundido falsamente que já havia casos de doença no país.

Etiópia, Guiné-Conacri, Quénia e Gana anunciaram esta sexta-feira (13.03) casos de infeções pelo novo coronavírus nos seus territórios elevando para 17 o número de países africanos com registo da doença. Moçambique continua fora da lista, assim como os restantes Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa.

Na madrugada de 6 de março, os moradores da cidade do Luena, província angolana do Moxico, acordaram sobressaltados com medo de um "vento tóxico" associado à Covid-19. A notícia falsa foi transmitida via mensagens de telemóvel e incitavam todos a acordarem pois contrairiam o vírus se fossem atingidos pelo vento durante o sono. O chefe do departamento de Saúde Pública do Moxico, Baldé Bernabé, teve de pedir calma à população, afirmando que a "falsa informação" teve origem na vizinha República da Zâmbia. No entanto, a Zâmbia ainda não identificou nenhum caso de infeção pelo novo coronavírus.

Estes são alguns dos mitos associados à Covid-19:

1. A pele negra é mais resistente ao novo coronavírus?

Não há qualquer estudo científico que comprove esta afirmação. Todos estão sujeitos a serem infetados. Segundo a Organização Mundial de Saúde, a Covid-19 pode ser contraída por qualquer pessoa que tenha tido contacto com uma pessoa infetada ou que tenha tocado em superfícies ou objetos contaminados. Pessoas mais velhas ou com doenças preexistentes (pressão alta, problemas cardíacos e respiratórios, cancro ou diabetes) são as mais vulneráveis à doença.

2. Comer alho ajuda a prevenir o novo coronavírus?

Não. Também não há qualquer prova de que isto seja verdade. De facto, nem os antibióticos funcionam contra vírus, apenas bactérias. Ainda assim, se estiver infetado com o novo coronavírus, o médico pode receitar antibióticos devido à possibilidade de uma infeção bacteriana.

3. Temperaturas baixas matam o coronavírus? Tomar banho de água quente previne a Covid-19?

Não. Este é um vírus novo, e ainda não se sabe muito sobre ele. Mas o que é certo é que tomar banho de água quente, ou o tempo frio, não influenciam a temperatura do corpo humano, que se costuma manter em torno dos 37°C. Beber bebidas quentes ou comer gelados, por exemplo, também não tem qualquer influência na eliminação ou propagação do vírus.

4. As picadas de mosquitos transmitem a Covid-19?

Não. Até ao momento, não há qualquer prova de que isto seja verdade. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, este é um vírus que se transmite através de gotículas libertadas quando uma pessoa infetada tosse, espirra ou respira. E essas gotículas podem ir parar a objetos ou superfícies em redor dessa pessoa.

5. Espalhar álcool ou cloro nas mãos e no resto do corpo mata o novo coronavírus?

Não. O uso direto na pele de álcool ou cloro não mata vírus que já entraram no corpo. Pode até ser prejudicial à pele. O álcool ou o cloro podem, no entanto, ser usados para desinfetar superfícies ou objetos.

Recomendações da Organização Mundial de Saúde para se proteger do novo coronavírus:

Para eliminar o vírus que possa estar nas mãos e consequentemente evitar infeções, lave as mãos frequentemente com água e sabão ou com álcool.

Evite tocar nos olhos, no nariz ou na boca.

Evite estar perto de quem estiver a tossir ou a espirrar.

por: Marta Cardoso, Agência Lusa

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.