A Confederação Cabo-verdianas dos Sindicatos Livres (CCSL) e a União Nacional dos Trabalhadores Cabo-verdianos – Central Sindical (UNTC-CS) passaram ao lado do Dia Internacional do Trabalhador, assinalado hoje, 01 maio, sem nenhuma atividade para comemorar a efeméride.

Em Cabo Verde, a data é feriado nacional e um dia de festa para todos que labutam no dia-a-dia para o ganha-pão, assim como de reflexão, mas, ao contrário dos anos anteriores que as organizações sindicais aproveitam para reivindicar os direitos e o aprimoramento das condições socioeconómicas dos trabalhadores, este ano foi diferente.

O presidente da CCSL, José Manuel Vaz, considerou que cabe aos trabalhadores decidirem se “têm motivos para celebrar, ou não”, reiterando que enquanto central sindical, querem apresentar aos trabalhadores cabo-verdianos as “soluções concretas”, garantindo que estão a decorrer negociações permanentes com o Governo para se encontrar soluções.

 “Constitui preocupação da nossa central, a questão do desemprego que assola grande número dos cabo-verdianos, nomeadamente dos trabalhadores jovens, mas também a questão da segurança social e o seguro obrigatório de trabalho”, indicou.

Para a secretária-geral da UNTC-CS, Joaquina Almeida, o contexto laboral do país “não está de boa saúde” por causa na “precariedade laboral”, evidenciada pela desigualdade social existente em Cabo Verde, sem esquecer dos “muitos jovens à procura do primeiro emprego”.

Entretanto, muitos trabalhadores de várias instituições públicas e provadas, comemoram a data, convivendo uns com os outros em almoços organizados pelos mesmos ou pelas instituições, na praia ou no campo, visando o convívio e o fortalecimento dos laços laborais.
Em Cabo Verde o 1º de maio foi comemorado pela primeira vez em 1974, data em que foi também comemorado pela primeira, vez em Portugal, após a Revolução de Cravos do mês antes, 25 de abril.

O Dia Internacional do Trabalhador é uma data que tem origem a primeira manifestação de 500 mil trabalhadores nas ruas de Chicago, e numa greve geral em todos os Estados Unidos da América (EUA) em 1889.

Três anos depois, em 1891, o Congresso Operário Internacional convocou, em França, uma manifestação anual, em homenagem às lutas sindicais de Chicago, que acabou em 10 mortos, em consequência da intervenção policial.

A Organização Internacional do Trabalho (OIT), foi instituída como uma agência da Liga das Nações após a assinatura do Tratado de Versalhes em 1919, que deu fim à Primeira Guerra Mundial, sendo que a sua constituição corresponde à Parte XIII do Tratado de Versalhes.

SAPO c/ Inforpress

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.