Página gerada às 20:12h, sexta-feira 17 de Novembro

HTC mostra novos óculos de realidade virtual e abandona planos com Daydream da Google

14 de Novembro de 2017, 15:52:53

O lançamento dos novos óculos Vive Focus está para já limitado à China, mas é possível que a HTC venha a alargar os seus planos de comercialização do dispositivo de realidade virtual, pelo menos se tiver sucesso. Ao mesmo tempo a empresa está a desenvolver uma plataforma própria de hardware e de conteúdos, a Vive Wave, que já conta com mais de três dezenas de parceiros.

Os óculos não dependem de processamento de um smartphone e têm um processador Qualcomm Snapdragon 835, recorrendo a localização do posicionamento, pelo que o Vive Focus pode tornar-se o primeiro headset de realidade virtual independente a chegar ao mercado, embora ainda não tenha data de comercialização.

O controlador do Vive Focus é semelhante ao que a HTC tinha incluído no "irmão mais velho" HTC Vive, mas há bastantes diferenças no design e no modo de funcionamento. Tudo indica que o preço também será mais baixo, considerando sobretudo que a HTC se viu forçada a baixar o valor dos HTC Vive face à concorrência da Oculus. O dispositivo não tem tido grande aceitação no mercado desde que foi lançado em 2016, apesar do reconhecimento de que está entre os melhores equipamentos de realidade virtual no mercado.

O conceito do Vive Focus é diferente e tem alguns pontos a seu favor, incluindo a independência em relação a um computador ou um smartphone.

Na mesma conferência onde anunciou o novo dispositivo a HTC confirmou também que vai abandonar os planos de desenvolver um dispositivo baseado na plataforma Daydream da Google.  Atualmente só a Lenovo está a trabalhar mais ativamente nesta plataforma anunciada em maio e o nome comercial do dispositivo poderá ser Mirage.

Na área de conteúdos a HTC anunciou ainda a criação de uma plataforma e várias parcerias de desenvolvimento que pretendem criar uma nova união num mercado de realidade virtual muito fragmentado. A Vive Wave já conta com mais de 35 fornecedores chineses e internacionais para desenvolverem conteúdos optimizados para a plataforma.

Comentários

Critério de publicação de comentários

 

SAPO Jornais