Página gerada às 17:14h, quinta-feira 19 de Outubro

Governo cabo-verdiano rejeita risco de derrapagem orçamental nas contas de 2016

19 de Abril de 2017, 19:58

Praia, 19 abr (Lusa) - O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, assegurou hoje, no Mindelo, que não existe risco de derrapagem nas contas de 2016, responsabilizando o PAICV por parte das opções orçamentais desse ano.

O chefe do Governo de Cabo Verde reagia ao maior partido da Oposição (PAICV) que, em comunicado e também através da sua líder, Janira Hoppfer Almada, acusou o executivo de estar a financiar o défice orçamental com recurso ao endividamento interno, alertando para o risco de derrapagem nas contas do ano passado.

"O Banco de Cabo Verde estimou que vai haver para 2016 a confirmação da redução do défice orçamental, que vai fixar-se em cerca de 3,3 partindo de 3,6%", disse Ulisses Correia e Silva, assinalando que o atual governo só teve o orçamento aprovado em agosto.

Para o primeiro-ministro, de cada vez que a Oposição fala está a responsabilizar-se "relativamente àquilo deixou" e cujo rumo, disse Ulisses Correia e Silva, está a ser corrigido por este Governo.

"O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) governou durante 15 anos e não será por efeito de quatro meses que a situação se iria agravar", disse, assegurando que o atual Executivo melhorou as contas.

"Aquilo que a oposição disse vai completamente ao desencontro daquilo que são os dados reais", afirmou, contestando também a ideia de que o Governo está a concorrer com o setor privado na procura de financiamento interno.

CFF // EL

Lusa/Fim


Comentários

Critério de publicação de comentários

 

SAPO Jornais