Página gerada às 16:11h, sabado 26 de Julho

Rede Taola promove campanha de sensibilização sobre consumo da tartaruga em Santiago

15 de Junho de 2011, 12:07

Cidade da Praia, 15 Jun (Inforpress) - A reitoria Uni-CV acolhe hoje o arranque da campanha “Nha Terra”, sob o lema “Compreender e Proteger o nosso Património”, que até Agosto pretende sensibilizar a população de Santiago para a importância da protecção das tartarugas. Trata-se de uma iniciativa da Rede Nacional de Protecção das Tartarugas Marinhas de Cabo Verde (TAOLA), em parceria com a Direcção Geral do Ambiente (DGA), visando, sobretudo, sensibilizar sobre o consumo da tartaruga marinha em Cabo Verde.


Conforme a representante da DGA, Sónia Araújo, Santiago é a ilha onde há maior consumo, por isso, a campanha consiste em sensibilizar todos os actores, população, instituições que fiscalizam a predação de tartarugas.

Neste sentido, o workshop de hoje, destinado à Polícia Nacional, Guarda Costeira, Polícia Marítima e Militares, visa apresentar a legislação existente a nível nacional sobre a protecção das tartarugas, levando ao conhecimento destes órgãos de fiscalização essa legislação para que lhes possam ajudar nesta matéria.

“Não vale a pena só sensibilizar as pessoas, mas também precisamos ter uma fiscalização mais concreta e, para isso, esses órgãos de fiscalização têm que ter conhecimento e estar mais a par da legislação existente para saberem como agir mediante as pessoas que estejam na posse de tartaruga, a consumir ou que cria uma tartaruga em casa”, precisou.

Segundo a coordenadora nacional da Campanha de Protecção das Tartarugas Marinhas, a legislação cabo-verdiana é “bem clara”, mostrando que é expressamente proibida por lei todas essas situações, porque trata-se de uma espécie em extensão, não só a nível nacional, mas também a nível mundial.

“Cabo Verde tem a responsabilidade maior na sua protecção porque a nível mundial, o arquipélago é o terceiro ponto onde há maior desova das tartarugas marinhas. Por isso, as entidades internacionais estão também a espera que o país faça um trabalho de conservação para a manutenção desta espécie no mundo”, sustentou Sónia Araújo.

No âmbito desta campanha, que vai abranger todos os concelhos costeiros da ilha de Santiago, realizar-se-á na próxima semana, na Cidade da Praia, um ateliê destinado às instituições ligadas a esta matéria de protecção das tartarugas, nomeadamente, os Ministérios da Educação, dos Recursos Marinhos e as Nações Unidas.

ZS
Inforpress/Fim


Comentários

Critério de publicação de comentários

 

Banca de Jornais