Página gerada às 20:18h, sexta-feira 17 de Novembro

Ministro das Finanças diz que não há espaço para aumento nominal de salários numa das propostas dos sindicatos

14 de Novembro de 2017, 17:20

O ministro das Finanças, Olavo Correia disse hoje na Cidade da Praia, que não há espaço para o aumento nominal de salários no país, uma das várias propostas dos sindicatos para o Orçamento do Estado (OE) para 2018.



A proposta para o aumento nominal de salários não foi absorvida pelo Governo, tendo em conta que houve deflação em 2016, justificou o ministro das Finanças, reagindo às críticas da presidente da União Nacional dos Trabalhadores de Cabo Verde – Central Sindical (UNTC-CS), Joaquina Almeida, sobre esta e outras propostas dos sindicatos que não constam do OE para 2018.

“Entendemos a posição dos sindicatos, mas a posição do Governo é esta. O espaço orçamental não comporta o aumento nominal de salários”, justificou Olavo Correia, à margem de uma visita efetuada esta terça-feira à empresa Adega, na Cidade da Praia.

Segundo Olavo Correia, é obvio que os sindicatos querem o aumento salarial nominal, mas justificou a posição do Governo, informando que nestes últimos tempos tem-se “avançado muito em matéria de aumento salarial” pela via das reclassificações, promoções e alinhamento do salário na Administração Pública.

“Temos tido um aumento de quase dois dígitos da massa salarial. Um aumento nominal de cerca de 2% nos últimos anos em termos de salário médio”, informou Olavo Correia aos jornalistas.

O ministro das Finanças disse ainda que “o Governo já regularizou quase tudo aquilo que tem a ver com as promoções, as reclassificações e progressões, redundando-se num aumento muito importante na massa salarial” nos últimos anos.

SAPO c/ Inforpress

Comentários

Critério de publicação de comentários

 

SAPO Jornais