Página gerada às 20:16h, sexta-feira 17 de Novembro

São Vicente: Concretizada inauguração técnico-científica do Centro Oceanográfico de Cabo Verde – inauguração política em Maio 2018

14 de Novembro de 2017, 15:19

O Centro Oceanográfico de Cabo Verde foi hoje inaugurado na sua componente técnico-científica, mas a inauguração política, com a presença de altos dignitários de Cabo Verde, Alemanha e União Europeia foi transferida para Maio de 2018.



A informação foi veiculada pela organização que ligou a transferência da inauguração política com dificuldades de agenda da parte alemã.

Sediado em São Vicente, o Centro Oceanográfico de Cabo Verde (OSCM, na sigla em inglês) foi classificado pelo presidente da Câmara Municipal de São Vicente, Augusto Neves, como “fator de enriquecimento” da história de São Vicente, ilha “sempre ponteada” pela sua importância no ensino e na educação dos jovens cabo-verdianos.

Ao presidir à cerimónia, o edil agradeceu o povo alemão pelo “apoio de sempre” no desenvolvimento de Cabo Verde, e lembrou o ex-Presidente da República Pedro Pires, pessoa que, segundo Augusto Neves, pelo seu envolvimento no projeto, bem cedo lhe falou da necessidade do envolvimento da câmara na construção da infraestrutura, “importante” para o arquipélago e para a comunidade científica mundial.

Quem também destacou, na cerimónia, a importância da infraestrutura para Cabo Verde e para a economia marítima, foi o diretor nacional da Economia Marítima, Carlos Évora Rocha, para quem se trata de um “projeto especial” e que traz a oportunidade de se conhecer melhor o oceano, prestar serviços à comunidade científica mundial e ter elementos para alcançar a “resiliência” dos oceanos.

Por isso, aproveitou a oportunidade para desafiar a comunidade científica mundial para tirar partido das potencialidades do OSCM.

O Centro Oceanográfico de Cabo Verde, edifício multiuso que se desenvolve numa área de 1.700 metros quadrados, é uma infraestrutura de investigação oceanográfica e atmosférica e de logística de preparação de campanhas e estudos do oceano e da atmosfera na região do Oceano Atlântico.

Aberto à comunidade científica mundial, oferece oficinas, espaços para trabalho, escritórios, três laboratórios universais, um dos quais molhado, salas de conferência e armazéns específicos para conservação de amostras, consoante as suas propriedades biológicas, físicas e químicas, para cientistas e peritos desenvolverem as suas campanhas de investigação.

A parte central do centro, que se localiza nas proximidades do INDP (Instituto Nacional de Desenvolvimento das Pescas), na Cova de Inglesa, é ocupada por um amplo hangar que serve de espaço técnico para a manutenção e preparação dos equipamentos utilizados nas prospeções e recolhas de amostras no oceano.

O OSCM é um dos “principais resultados” da “longa cooperação” científica existente entre Cabo Verde e a Alemanha, potenciada pelos institutos INDP e Geomar, que se iniciou em 2004.

O equipamento do OSCM é financiado maioritariamente pelo Ministério Federal da Investigação e Educação da Alemanha, com “importante contribuição” do Governo de Cabo Verde e da Câmara Municipal de São Vicente, que cedeu o terreno para a sua construção.

O OSCM será gerido pelos institutos INDP (Cabo Verde) e Geomar (Alemanha).

SAPO c\ Inforpress

Comentários

Critério de publicação de comentários

 

SAPO Jornais