Página gerada às 14:09h, sexta-feira 22 de Setembro

Santo Antão: Edilidade garante parceria do Governo para levar água potável ao Planalto Norte do Porto Novo

13 de Setembro de 2017, 13:18

O Governo, através do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA), é um dos parceiros já assegurados pela edilidade portonovense para implementar, a partir de outubro, o projeto de abastecimento de água potável ao Planalto Norte do Porto Novo.

A execução do projeto de abastecimento de água ao Planalto Norte do Porto Novo, a partir da nascente de Escravoerinhos, nas imediações do vale de Martiene, contará com vários parceiros, de entre eles o MAA que já assumiu a responsabilidade de construir os reservatórios e estações de bombagem.

A Câmara Municipal do Porto Novo tem já assegurado, através da cooperação descentralizada, uma parte do financiamento para a instalação dos sistemas fotovoltaicos para a bombagem de água a partir de Escravoerinhos, segundo a edilidade, que tem garantido, também, a parceria do MAA.

A Câmara Municipal do Porto Novo disse ter já mobilizado, junto da cooperação portuguesa, cerca de 40 mil euros, estando em vias de conseguir, junto de outros parceiros, mais 70 mil euros, montante destinado à aquisição dos painéis solares.

A autarquia portonovense, face à situação de penúria de água potável que Planalto Norte enfrenta, praticamente, ao longo do ano, espera, num período de 12 meses, levar água potável à localidade, onde residem cerca de 600 pessoas.

Os responsáveis municipais acreditam que, até ao próximo mês de outubro, estarão criadas as condições para o início do projeto, que será executado num período de um ano.

O edil do Porto Novo, Anibal Fonseca disse acreditar que Planalto Norte, cuja população é abastecida com água auto-transportada, terá água potável até outubro de 2018, no âmbito deste projeto, que rondará 20 mil contos.

Em relação ao Planalto Leste, as diversas comunidades passam, ainda a partir deste mês de setembro, a dispor de água potável no quadro do projeto financiado, em cerca de 250 mil contos, em Santo Antão, através do II compact do MCA (Millennium Challange Account).

Águas das Caldeiras, Lombo Figueira, Ribeirão Fundo, Pico da Cruz e Lagoa passam a ter água canalizada graças a este projeto, que fica concluído ainda em Setembro.

 

SAPO c/Inforpress


Comentários

Critério de publicação de comentários

 

SAPO Jornais