Página gerada às 08:25h, quarta-feira 22 de Novembro

PM: Cabo Verde tem de se afirmar no mundo por aquilo que é e defende

03 de Julho de 2017, 16:39

A segurança, a estabilidade e a confiança são algumas das características próprias e fundamentais com que Cabo Verde deve posicionar-se e afirmar-se no mundo, defendeu hoje, na Cidade da Praia, o primeiro-ministro, Ulisses Correia Silva.

A ideia foi defendida pelo chefe do Executivo em declarações aos jornalistas depois de fazer a sua intervenção, à porta fechada, no segundo e último dia do Encontro dos Chefes de Missão Diplomática e Postos Consulares, sublinhando que o país deve orientar-se através das características que só ele tem.

“Devemos conseguir, de facto, distinguir-nos por aquilo que somos e por aquilo que defendemos. A segurança, a estabilidade e a confiança são os patamares que, de facto, fazem distinção no mundo de hoje”, frisou.

Para o primeiro-ministro, um país com mais de cinco séculos de existência, “estável, de baixos riscos políticos e sociais, tem que se afirmar pela confiança nas relações com os investidores e com os parceiros, ou seja, organizar todo o princípio da sua política externa nesta base.

“Os nossos valores da democracia, da liberdade, do respeito pelos direitos humanos, de relações fáceis com qualquer país do mundo e com uma vasta diáspora têm de afirmar-se, ainda mais no mundo, a nível dessas características fundamentais e que hoje ganham cada vez mais relevância”, sustentou.

Quanto à abertura de novas embaixadas, Ulisses Correia e Silva disse que a perspetiva é ter uma representação diplomática próxima da CEDEAO, em Abuja, mas em relação ao Reino Unido, em que tem surgido alguma “desinformação” sobre as doenças transmitidas por mosquitos, explicou que isso não será possível.

“Abrir nova embaixada, não, mas ter um embaixador não residente, seguramente. Estamos em processo de nomeação de um cônsul honorário para que possa ser um elemento de ligação mais estreita com Cabo Verde, mas para além disso, vamos fazer uma ação de marketing institucional muito forte no Reino Unido, com a participação dos membros do Governo na área económica e das câmaras de comércio e turismo para fazer face a esses ruídos consistentes”, esclareceu.

Para além de Ulisses Correia e Silva, prevê-se, hoje, a intervenção do ministro da Economia e Emprego, José Gonçalves da Silva para falar do tema “Cabo Verde: Prioridades para o seu desenvolvimento económico” e do presidente da Câmara do Comércio, Indústria e Serviços de Sota-vento (CCISS), Jorge Spencer Lima, que será sobre “O papel do setor privado como fator de desenvolvimento económico”.

Nesta terça-feira, 04, está marcado o Encontro dos Embaixadores e Representantes de Organismos Internacionais acreditados em Cabo Verde, a ter lugar, também, na capital do país.

SAPO c/ Inforpress

Comentários

Critério de publicação de comentários

 

SAPO Jornais